sábado, 26 de setembro de 2009

Qualidade visual

Amy Whinehouse bebeu dessa fonte:


E tem música certa para isso?


Que tristeza gente:

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Preguiça!

Se muitos reclamavam que, no Twitter, 140 caracteres era pouco, imagine agora com o Squeaker, que são apenas 14 toques! squeakertime.com

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

"aspas"


_ Mas quando vai acabar? Às vezes penso que não vou resistir. Este inverno parece que não passa nunca!
_ Passará e chegará a primavera. E vai ser linda, porque estaremos livres! É preciso ver, querer!

ANA MAGNANI e F.GRANDJACQUES, em "Roma, Cidade Aberta" (1946)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

"aspas"

Toda relação, mesmo harmoniosa, contém sementes de farsa e tragédia.

PETER COYOTE para KRYSTIN SCOTT THOMAS e HUGH GRANT, em "Lua de Fel" (1993)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

There is a light that never goes out


Take me out tonight
Where there's music and there's people
Who are young and alive
Driving in your car
I never never want to go home
Because I haven't got one
Anymore

Take me out tonight
Because I want to see people
And I want to see lights
Driving in your car
Oh please don't drop me home
Because it's not my home
It's their home
And I'm welcome no more

And if a double-decker bus
Crashes into us
To die by your side
Such a heavenly way to die
And if a ten-ton truck
Kills the both of us
To die by your side
Well, the pleasure and the privilege is mine

Take me out tonight
Oh take me anywhere
I don't care, I don't care, I don't care
And in the darkened underpass
I thought "Oh God, my chance has come at last"
But then a strange fear gripped me
And I just couldn't ask

Take me out tonight
Take me anywhere
I don't care, I don't care, I don't care
Just driving in your car
I never never want to go home
Because I haven't got one
Oh, I haven't got one

There is a light that never goes out
There is a light that never goes out
There is a light that never goes out
There is a light that never goes out...

É uma calcinha na cabeça?


A Sarah tá gravando Sex and the City 2 ou a história da vida da Madonna?

domingo, 20 de setembro de 2009

"aspas"


_ Esta arma está apontada diretamente para o seu coração.
_ É o meu ponto menos vulnerável.

HUMPHREY BOGART e CLAUDE RAINS em Casablanca

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

"Não é justo"

Na segunda-feira, enquanto ia trabalhar, escutei na rádio a música Pet Sematary, dos Ramones. É a que mais gosto, ao lado de I Don't Want To Grow Up e Blitzkrieg Bop. É claro que ela me remete imediatamente ao filme Cemitério Maldito, inspirado no livro do Stephen King. Não sou muito de ler as obras dele, mas adoro o filme. Tenho um VHS, comprado há muito tempo em uma locadora que estava fechando, igual esse:


De tempos em tempos gosto de assistir novamente. Não para levar susto, pois as partes mais “macabras” já não me causam surpresa, mas sim para rever cenas clássicas, como essas:

O pequeno Cage Creed sendo atropelado pelo caminhão. Por mais que seja um filme de terror, não aparece o corpo dele estraçalhado, mas sim apenas o sapato, que saiu do pé e se arrasta pelo asfalto, em câmera lenta.



Aquele gato maldito que sempre aparece.


A voz do vizinho, que já dá o tom de terror durante o filme (adoro a forma como ele morre).


O temido cemitério, que fica longe pra burro.


A doida da Zelda. Ela sempre me dava medo. Depois descobri ser um homem que a interpretava. O medo passou (um pouco).


E o clássico Cage Creed. Tenho pena dele, no final, quando recebe a injeção letal e diz: “não é justo”.


Por incrível que parece, talvez goste ainda mais da continuação. A história é mais fraca, não tem cenas clássicas, mas gosto mais. Lembro um domingo que não conseguia dormir. Acabou o Fantástico e esperei para ver qual filme iria passar (na época não tinha mais um monte de programa como No Limite, BBB, etc). Naquele dia passou Cemitério Maldito 2. Aguentei firme, até o final. Não sei se é o ar meio depressivo do Edward Furlong ou os lugares das filmagens (cidade do interior, com muito espaço fazio, sempre me atrai), mas curto o tom da película, com muitos silêncios e tal. Quem gosta de filme com mensagem, fuja.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Festinha

Todos estão falando que o melhor momento do VMA, entregue ontem, foi quando o Kanye West tirou o microfone da mão da Taylor Swift para reclamar:

Outros dizem que a melhor coisa foi a dança da Beyoncé, com mais um monte de dançarina. Eu particularmente acho que faltou a travesti que dança no clipe.


Mas a hora que realmente ri foi quando a Lady Gaga agradeceu o astronauta e dedicou o prêmio à Deus e aos gays. Olha a cara do Eminem:

domingo, 13 de setembro de 2009

É preciso a chuva para florir

Tocando em Frente

Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia.
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
e no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Reggae night


A primeira vez que fui em um show na Pedreira Paulo Leminski foi no Ruffles Reggae, em 1996. Estava acompanhado da minha irmã e mais uma penca de amigos dela. Lembro muito bem de assistir Big Mountain (na época eu adorava), Ziggy Marley, Lucky Dube e Olodum. Em seguida peguei o ônibus até a Praça Tiradentes e esperei outro para, finalmente, chegar em casa. Na segunda-feira, os papos no colégio abordavam exclusivamente as apresentações.

No ano seguinte, mais uma edição do festival. Eu não ia pois não tinha dinheiro para o ingresso. Para surpresa total, por ter tirado notas boas naquele bimestre, ganhei uma entrada do colégio. Cheguei em casa e minha mãe não deixou eu ir, pois a maninha também não ia. Com uma tristeza no coração, vendi o ingresso para uma amiga, por R$ 25,00.

Hoje acho que acabei saindo no lucro.

Só pode ser montagem!!!!


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

"aspas"


Quero me topar com ele de homem para homem. De Deus pro diabo.

OTHON BASTOS, em "Deus e o Diabo na Terra do Sol" (1964)

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

"aspas"


_ Compro limonada de vocês, se comprarem uma caixa dos meus biscoitos de escoteira.
_ Foram feitos de escoteiras?

CHRISTINA RICCI, em "A Família Addams" (1991)

?

Será que alguma vez na vida uma novela irá acabar e, nos capítulos finais, não haverá nenhum casamento? O mais comum seriam várias separações. Todo mundo divorciado, assim como na vida real.

Sugestão

Sede assim - qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Flor que se cumpre,
sem pergunta.

Onda que se esforça,
por exercício desinteressado.

Lua que envolve igualmente
os noivos abraçados
e os soldados já frios.

Também como este ar da noite:
sussurante de silêncios,
cheio de nascimentos e pétalas.

Igual à pedra detida,
sustentando seu demorado destino.

E à nuvem, leve e bela,
vivendo de nunca chegar a ser.

À cigarra, queimando-se em música,
Ao camelo que mastiga sua longa solidão,
Ao pássaro que procura o fim do mundo,
Ao boi que vai com inocência para a morte.

Sede assim qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Não como o resto dos homens.

(Cecília Meireles)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Sugestão


Já viram esse? Deveriam!

sábado, 5 de setembro de 2009

"aspas"


Que experiência, viver com medo! Isto é ser um escravo.

RUTGER HAUER, em "Blade Runner, o Caçador de Andróides" (1982)

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Eu só quero me divertir


Não costumo ir a muitos shows, mas considero que fui em alguns memoráveis. Os inesquecíveis são: Rolling Stones em Copacabana, Franz Ferdinand e U2 no Morumbi, Stereo Total no Era Só o Que Faltava, Ney Matogrosso no Guairão, entre outros. Um dos que está na minha memória foi o da Cyndi Lauper, no Teatro Positivo. Não especificamente pela qualidade técnica ou musical, por mais que a voz da cantora esteja potente, mas sim pelas lembranças que as canções me trouxeram. Foi impossível não recordar da infância, dos Goonies, de quantas vezes ouvi Time After Time e All Trought The Night, da minha irmã, dos meus sonhos e do que é ser adulto. Uma carga meio pesada para um show da Cyndi, mas é verdade. Foi legal lembrar de algumas coisas esquecidas por baixo da carcaça. No show da cantora eu pensei. Nas apresentações citadas no começo deste post eu delirei.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Vai pra p***


Considero a Madonna a nova Dercy Gonçalves. Depois que esta morreu, abriu uma lacuna agora ocupada pela estrela. A loira superstar tá com cinquentinha e continua passando a mão nas partes, requebrando até o chão, se esfregando em homens e mulheres, como no novo clipe lançado. Como diria Brüno, ``isso é tão anos 80´´. Tenho certeza que ela vai chegar aos 90 levantando a perna acima da nuca, igual a Dercy fazia. Ou melhor (pior?), vai aparecer em algum vídeo com os peitos de fora, como a nossa atriz fez no Carnaval. (reparem na cara da fotógrafa na foto acima)