sexta-feira, 27 de novembro de 2009

"aspas"


Você não precisa de provas quando tem instinto.

Lawrence Tierney para Harvey Keitel em Cães de Aluguel (1992)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Lançamento em breve

SINA-LAGMA


Maria das horas, uma menina franzina de cabelos cacheados e vermelhos como o fogo sorriu pra mim, iluminando a face do dia. Em seu sorriso, vi esperança, compaixão, fé e alegria. Festejada pelas horas que dançavam livres ao seu redor, estendeu a mão pequenina e disse:
- Vê isso?
- Isso o que?
- Isso aqui, na palma da minha mão!
- São sementes?
- Sim, e são sementes especiais!
- Especiais...como?
Um sopro apenas e então... Surgiram todos os girassóis!

Do livro “Descompasso”, de Eliana Schuster

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Tarefa


Amanhã serei o Magneto. Minha primeira missão na Terra será fazer isso na Visconde de Guarapuava, no horário de pico.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A Princesa e o Robô



"Num distante planeta em forma de cenoura, robôs e coelhos vivem lado a lado tranquilamente. Até que um raio misterioso, vindo de uma distante estrela, atinge um robozinho e o torna apaixonado pela princesinha do reino, a doce Mimi. Mas um vilão terrível irá tentar atrapalhar o romance e a Turma da Mônica entra em cena, para ajudar os dois namoradinhos, aprontando mil peripécias pelo espaço."

Foi o desenho que eu mais vi até hoje. Tem o filme completo no You Tube. É o segundo da série Turma da Mônica, feito em 1983.

Encomenda







Se a moda é ter Barbie de artista, quero que façam da Meryl Streep, Lady Gaga, Whoopi Goldberg, Jessica Tandy, Lilia Cabral, Vera Verão, Tina Turner e do Morrisey. Da Bette Davis já existe mas custa R$ 400, então não rola.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

O Novo Homem

O homem será feito
em laboratório.
Será tão perfeito como no antigório.
Rirá como gente,
beberá cerveja
deliciadamente.
Caçará narceja
e bicho do mato.
Jogará no bicho,
tirará retrato
com o maior capricho.
Usará bermuda
e gola roulée.
Queimará arruda
indo ao canjerê,
e do não-objecto
fará escultura.
Será neoconcreto
se houver censura.
Ganhará dinheiro
e muitos diplomas,
fino cavalheiro
em noventa idiomas.
Chegará a Marte
em seu cavalinho
de ir a toda parte
mesmo sem caminho.
O homem será feito
em laboratório
muito mais perfeito
do que no antigório.
Dispensa-se amor,
ternura ou desejo.
Seja como for
(até num bocejo)
salta da retorta
um senhor garoto.
Vai abrindo a porta
com riso maroto:
Nove meses, eu?
Nem nove minutos.
Quem já concebeu
melhores produtos?
A dor não preside
sua gestação.
Seu nascer elide
o sonho e a aflição.
Nascerá bonito?
Corpo bem talhado?
Claro: não é mito,
é planificado.
Nele, tudo exacto,
medido, bem posto:
o justo formato,
o standard do rosto.
Duzentos modelos,
todos atraentes.
(Escolher, ao vê-los,
nossos descendentes.)
Quer um sábio? Peça.
Ministro? Encomende.
Uma ficha impressa
a todos atende.
Perdão: acabou-se
a época dos pais.
Quem comia doce
já não come mais.
Não chame de filho
este ser diverso
que pisa o ladrilho
de outro universo.
Sua independência
é total: sem marca
de família, vence
a lei do patriarca.
Liberto da herança
de sangue ou de afecto,
desconhece a aliança
de avô com seu neto.
Pai: macromolécula;
mãe: tubo de ensaio,
e, per omnia secula,
livre, papagaio, sem memória e sexo,
feliz, por que não?
pois rompeu o nexo
da velha Criação,
eis que o homem feito
em laboratório
sem qualquer defeito
como no antigório,
acabou com o Homem.
Bem feito.

Carlos Drummond de Andrade, in
'Versiprosa'

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

"aspas"


Posso ficar com a caneta?

Whoopi Goldberg, em Ghost (1990)

...se é que há

Queria arrancar todos os dentes da minha boca, e a boca.
Queria arrancar todas as unhas dos meus dedos, e os dedos.
Queria arrancar todo pelo da minha pele, e a pele.
Queria arrancar a glande do meu pênis, e o pênis.
Queria rasgar minha carne, retirar meus órgãos, revirar minhas entranhas.

Eu não sou unha, não sou boca, não sou dente, não sou osso, não sou pele, não sou pelo. Não sou rim, não sou bulbo, não sou pé, não sou cabeça.

Queria cavar o orifício dos olhos, e arrancá-los
Queria cavar a vulva e os grande lábios, e arrancá-los.
Queria cavar um buraco no meu crânio, e deixá-lo respirar.
Queria cavar, cavar, até os ossos.

Eu não sou crânio, nem ar, não sou ossos e nem a pá, eu não sou olhos eu não sou vulva, não sou lábio e nem sou grande.

Queria raspar meus ossos e ver pó.
Queria ser pó e voar...
Queria ser nada
Queria ser tudo
Ser amor e absurdo.

Eu não sou pó nem sei voar, eu sou um corpo, um absurdo, eu quero amor se é que há.

Escrito pelo amigo Fabiano Giordani

domingo, 15 de novembro de 2009

O Tempo da Vida

A sombra do capitólio anuncia a hora
Do sol poente sobre a rotina mecânica.
Passantes, trabalhadores, pedintes, sombras de árvores.
A praça está cheia de vida latejante.
Ela pulsa, pedindo uma chance,
Afogada no lamento das horas e dos pensamentos.
Ela passa, pedindo o pão,
Que ainda se dá por graça e benevolência.
Ela vai, esperando o açoite
Da criança morta por negligência.
A ampulheta lhe oprime e não lhe redime.
E a vida que era para ser vivida se esconde atrás da retina
Dos olhos que pensam que vêem e que vivem.

Escrito pela amiga Ticiana Vasconcelos Silva.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

"aspas"


_ Algum dia vai ficar mais fácil?
_ Não. Mas você se acostuma.

Diálogo do primeiro episódio do seriado "The Good Wife". Toda segunda, 22 horas, no Universal Channel.

domingo, 8 de novembro de 2009

"aspas"


Ninguém pode ser tão feliz sem ser punido.

Greta Garbo em Nitotchka (1939)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

"aspas"

...pois há momentos em que a pessoa está precisando de uma pequena mortezinha e sem nem ao menos saber.

A Hora da Estrela, Clarice Linspector

segunda-feira, 2 de novembro de 2009